Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008

Sinto-me...

Sinto-me viradsa do avesso. Como se um duende malvado tivesse agarrado em mim e me tivesse virado ao contrário. Ao virar, tudo o que estava dentro de mim caiu para o chão: as certezas, os sonhos, as ânsias, a felicidade e a alegria. E principalmente a paz de espirito.

Tento agarra-me às coisas físicas para não ser levada no redemoinho das emoções. Penso no que vou comprar para casa, o que fazer para o jantar, a roupa que é preciso lavar e passar. Tento concentrar-me no trabalho mas o coração está lá...longe... numa sala de exames.

É díficil descrever a sensação de esperar um dia inteiro por notícias e depois, à tardinha, o vosso pai diz, quase em lágrimas: a mãe tem um cancro.

Talvez não compreendam o desespero. Talvez para compreender tenho de explicar que a nossa família é muito unida. Os quatro somos os melhores amigos uns dos outros e fazemos tudo a pensar nos outros. Não existimos uns sem os outros.

E vê-la chegar, em lágrimas, como que a pedir desculpa por algo que não tem culpa, que não fez, que não podia sequer imaginar....

E ter a certeza que se está a lembrar da melhor amiga que morreu com cancro da mama.

A minha mãe pensa muito no futuro. Tem um medo terrivel do meu futuro por eu ser uma borboleta. Tem mais medo que eu. Eu soube aceitar e viver a doença. Ela ainda se revolta.

Como encarar então agora um cancro?

O médico pediu mais exames. Exames completos para saber se há possibilidade de metásteses (ou seja se o  cancro se expandiu pelo corpo). Depois, se tudo estiver bem, é rapidamente operada.

Parece simples... toda a gente fala que hoje em dia é comum e a medicina evoluiu de tal maneira que a cura é fácil...

Mas sentir na pele? Sentir a dor dela, do meu pai, do meu irmão.... e a minha...

Temos um longo caminho pela frente. Tenho a certeza que a Deusa não nos deu um fardo maior que as nossas possibilidades de o suportar. Talvez queira que aprendamos algo com isto. Mas neste momento o meu coração, vista e alma, não consegue alcançar mais nada que a realidade. E essa é dura e está à minha frente.

 

Obrigada a todos os que me têm apoiado. Mesmo de longe, mesmo virtual, o vosso conforto é real e aconchega a alma. Obrigada.

sinto-me: Um saco de lágrimas roto...
publicado por lytha às 13:54
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De coisas_de_gaja a 17 de Setembro de 2008 às 15:02
Aguardo pelo dia em que vais aqui chegar e dizer que a recuperação está a ser um êxito. Desejo-vos toda a força do mundo para apoiarem essa super-mãe. Beijocas


De Tg a 17 de Setembro de 2008 às 17:55
Não me ocorrem palavras para amainar essa dor que devam estar a sentir, por isso vou limitar-me a deixar-te todo o meu apoio virtual mas sincero.
Beijos


De Borboleta_A a 17 de Setembro de 2008 às 20:03
Também deixo todo o meu apoio. Agora é preciso pensar só nos casos de sucesso no combate à doença... e ter fé que tudo vai correr bem.
Tudo de bom para vocês


De misal a 17 de Setembro de 2008 às 20:36
Olá!
Mais um abração a transmitir força e energia positiva para ti!
E lembra-te que tu enfrentaste a tua doença...a tua mãe vai saber enfrentar a dela! É mais difícil quando é 1 filho que está doente, poque se sente muita impotência, porque é um bocado de nós (digo eu que não tenho filhos) que precisa de nós e por quem não se pode viver a doença!
Lembra-te de como fizeste...um bocadinho de cada vez! E com esperança em dias melhores!
Misal


De Pikenatonta a 19 de Setembro de 2008 às 15:00
Não há realmente palavras que acalmem uma dor assim... Estar na pele é sempre diferente, posso dizê-lo por experiência própria... Por isso, só posso dizer FORÇA!! Um beijinho enorme e se precisares de alguma coisa, diz...

Um dia de cada vez... pensa assim... ;)


De misal a 24 de Setembro de 2008 às 13:50
Entaõ? Em frente? Tem que ser, não é? Força1
beijinhos,
Misal


De Miss Candy a 30 de Setembro de 2008 às 13:55
Nestas alturas, realmente, as palavras fogem-nos, ficamos um pouco sem saber o que dizer. Nunca me encontrei numa situação semelhante, mas imagino como será. Só posso desejar muita força, coragem e desejos de que tudo corra pelo melhor! Espero em breve ver aqui um post com excelentes notícias! Bjs!*


De Liliana Lopes a 7 de Outubro de 2008 às 16:02
Sei que não há palavras de consolo que cheguem, mas é, de momento, a única coisa que posso oferecer...
Vais ver que vai chegar o dia em que vais dizer que a recuperação está a ser um sucesso e a tua mãe está chei de força de vontade para matar esse cancro!

Um grande beijo para a família.
Liliana
(lilalopes BC)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Férias

. Olá

. Snow

. Resultados....

. Na mesma.... como a lesma...

. A incerteza....

. Borboleta

. Novo Ano

. Feliz Natal/Yule

. Vacina da Gripe A

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.links

.Twitter

blogs SAPO

.subscrever feeds