Sexta-feira, 31 de Agosto de 2007

Relógios = Tempo

Hoje vou-vos contar a minha paranóia com relógios. Pois é.... tenho uma enorme paranóia com estes auxiliares. E tem tudo a ver com o tempo.

O meu grande problema é o tempo. Ou não ter tempo. Espero tornar-me compreensivel.

Toda a minha vida planeei coisas. Planeava os estudos, as horas de brincadeira... tudo muito racional. Até se gostava ou não de alguém... se tinha tempo para isso.

Porque o meu grande medo... o medo da minha vida... é não ter tempo. Não ter tempo de ver e fazer tudo o que quero, de dizer tudo o que devo dizer, de perder tempo com coisas estúpidas em vez de aproveitá-lo com coisas importantes.

E este medo sempre reinou na minha vida desde pequena e, como tal, sempre me rodeei de relógios. Primeiro com aqueles engraçados para criança, depois mais selectiva e não resisto a um Swatch. Adoro as suas cores, a sua irreverência, até os bonecos. Já tenho uma boa colecção e ando sempre com um atrás, a escutar o seu tic tac (tic tac esse que me embala à noite para dormir). Depois mais o relógio do telemóvel, sempre actualizado, que anda sempre atrás porque é um instrumento sem o qual já não passamos. Tenho ainda mais um relógio despertador no quarto com luz bem forte para se ver bem durante a noite.

E podemos continuar pela viagem pela casa. Um relógio na cozinha, um relógio na sala. Todos certos e todos a fazer tic tac para me lembrarem do tempo que gasto em cada divisão.

O meu medo? Não tenho medo de morrer. Tenho medo de morrer e não ter feito tudo o que tinha para fazer. Ainda há tanta coisa que quero fazer e o tempo parece que se está a escapar por entre os dedos. Esse é o meu medo. O meu medo real.

Já perdi pessoas a quem não tive tempo de dizer que as amava. Tempo que gastei com coisas que não valiam a pena. E se continua a acontecer?

A morte sempre foi um pensamento constante em mim. Mas desde que descobri que tinha lúpus ficou mais forte. Encaro cada dia como uma luta diária. Uma luta contra o tempo.

Eu sei que posso viver muitos anos... mas mesmo esses anos, tenho medo que não cheguem para tudo aquilo que quero fazer e ver.

Conhecem o livro "A Lua de Joana"? Foi um livro que me marcou muito. A dada altura a Joana faz uma tatuagem no braço em forma de relógio. Quem sabe também numa tentativa de segurar o tempo e impedir que fuja?

Um dos desenhos que constantemente faço enquanto estou numa reunião é o desenho de um relógio. Aqueles relógios antigos, altos, que fazem um barulho estrondoso quando dão as horas. E um dos meus quadros preferidos é a persistência da memória. Aquele quadro do Dali em que relógios se escapam pelas pedras, como que a dizer que o tempo está a fugir. Pelo menos é isso que eu entendo.

Espero ter sido clara na minha explicação. Só uma mania que vos faz conhecer mais sobre mim.

Beijos para todos e bom fim de semana (aleluia que bem mereço).

Deixo-vos com o quadro que me fascina!

 

 

sinto-me: Feliz pelo Fim de semana
música: Beto - Quem espera desespera
publicado por lytha às 12:15
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Leticia a 31 de Agosto de 2007 às 19:52
Espero que goste www.portaltattoo.com


De Borboleta_A a 5 de Setembro de 2007 às 21:01
Olá amiga...
Não sei se somos nós que fugimos do tempo se é o tempo que foge de nós...

Se tiveres oportunidade, vai até ao Palácio do Freixo, no Porto. Está lá até Novembro uma exposição de Salvador Dali... Não tem essa obra de que tanto gostas, (também gosto muito dessa) mas vale a pena passar por lá e apreciar.

Eu arranjei tempo para ir até lá e gostei... muito.
Beijinhos


De Borboleta_A a 6 de Setembro de 2007 às 00:20
(Queria só acrescentar que deixei uma nomeação para ti no meu blog...)
Beijinhos


De coisas_de_gaja a 16 de Setembro de 2007 às 00:21
Um dos quadros que fez parte da minha adolescência: Persistência da memória, Salvador Dali... Boa escolha


De coisas_de_gaja a 16 de Setembro de 2007 às 00:21
Psssssssst!!! Uma nomeaçãozita no prémio da amizade. Vem espreitar!!!


De margarida a 17 de Outubro de 2007 às 21:11
oi!!
pois é, para alem do lupus temos outra coisa em comum: o fascinio pelos relogios!! tb ja tenho 1 boa quantidade d relogios Swatch:) sp k m oferecem prendas ja sabem o k kero, 1 relogio Swatch!!

beijinhos*


De Relógio a 6 de Junho de 2008 às 00:04
é mesmo assim, o relógio pode ser uma verdadeira paixão, não interessa muito o valor do mesmo, o importante é o valor que lhe damos e como um relógio nos pode fazer sentir.
Da minha infância também lembro esses velhos relógios, grandes, aos quais eram dada corda quase todos os dias e que quando tocavam ouviam-se do outro lado da rua.
Susana.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Férias

. Olá

. Snow

. Resultados....

. Na mesma.... como a lesma...

. A incerteza....

. Borboleta

. Novo Ano

. Feliz Natal/Yule

. Vacina da Gripe A

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.links

.Twitter

blogs SAPO

.subscrever feeds